Mãos sujas

October 29, 2010 at 10:06 pm Leave a comment


Na peça de teatro “As mãos sujas”, Jean-Paul Sartre apresenta o choque entre as visões políticas pragmática e idealista. Hugo, jovem idealista, recebe ordem de seu partido para matar Hoederer, líder da mesma facção, considerado traidor dos ideais revolucionários, por ter feito conchavos com os adversários. Para cumprir sua missão, ele vai trabalhar como secretário de Hoederer. Porém, aproximando-se deste, passa a admirá-lo, embora discorde de sua estratégia política. A política, segundo Hugo, é uma ciência capaz de demonstrar que uma pessoa tem razão e que as outras se enganam. Para ele é inaceitável que um partido revolucionário chegue ao poder à custa de traficâncias, e que Hoederer se utilize do partido para fazer uma política colaboracionista, afrontando o programa partidário de implantação do socialismo por meio da luta de classes. O jovem, que não esconde sua opinião diante do chefe, ouve deste o seguinte:

HOEDERER: (…) Como tu prezas a tua pureza, meu filho! Que medo que tens de sujar as mãos! Pois bem, fica puro! Quem é que aproveitará com isso, e porque é que vem então meter-te conosco? A pureza é uma ideia de faquir e de monge. Vocês, os intelectuais, os anarquistas, utilizam-na como um pretexto para não fazer nada. Não fazer nada, ficar imóvel, apertar os cotovelos ao corpo, usar luvas. Pois eu tenho as mãos sujas. Até aos cotovelos. Mergulhei-as na merda e no sangue. E depois? Imaginas que se pode governar inocentemente?

Contrariando sentimentos íntimos, Hugo mata Hoederer, é preso, e, liberto do cárcere, procura Olga, militante do partido. Mas a política deste havia mudado radicalmente. Passaram a defender o colaboracionismo de Hoederer, cuja imagem de traidor foi mudada para a de herói. Por isso seu assassino deveria ser apagado da história, o que faz de Hugo um estorvo para a cúpula do partido, que resolve eliminá-lo. Olga, então, pede um tempo aos companheiros para tentar convencer Hugo a se submeter à nova orientação partidária e viver na clandestinidade. Hugo, porém, não aceita a proposta:

HUGO: (…) Escuta: eu não sei porque é que matei o Hoederer, mas sei porque o devia ter morto: porque ele impunha uma política má, porque mentia aos camaradas e porque fazia o Partido correr o risco de apodrecer. (…) Na prisão, julgava que vocês estavam de acordo comigo, e isso dava-me forças; sei agora que ninguém pensa como eu, mas não mudarei de opinião por causa disso.

Mesmo alertado que os companheiros vão matá-lo, e que isso pode ser evitado se ela lhes garantir que Hugo é “recuperável”, este não volta atrás:

HUGO, avançando para a porta: Eu ainda não matei o Hoederer, Olga. Ainda não. Mas vou matá-lo agora. A ele e a mim também.

(Batem à porta novamente.)


OLGA, gritando: Vão-se embora! Vão-se embora!

(Hugo abre a porta com um pontapé.)


HUGO, gritando: Não recuperável!

(Cai o pano).


Não é de hoje que o jogo da política é jogado tanto com cabeças idealistas quanto com mãos sujas. O reinado pacifista de Salomão não se consolidou sem antes ser banhado no sangue dos partidários de Adonias. E ainda que não tenha a dramaticidade da peça de Sartre, o teatro da política ainda é cheio de cenas de dissimulação e boa-fé, de corrupção e decência, de pragmatismo e idealismo.

Não rezo na cartilha existencialista de Sartre; não concordo com a “pureza” de Hugo, capaz de matar por ideologia partidária, nem com o pragmatismo de Hoederer, para quem “a Revolução não é uma questão de mérito, mas sim de eficácia”, pois o “Céu não há.” Mas não há como negar que, no palco da política, não se pode ter as mãos totalmente limpas. Pois o papel dos personagens, inclusive o de cada um de nós, depende de nossas escolhas. Lavando as mãos, Pilatos não as tornou mais limpas que as de Hoederer. A sorte é que, mesmo não sendo possível governar ou ser governado inocentemente, sabemos que nem a história da salvação, conduzida pelas mãos imaculadas de Deus, dispensa as mãos sujas de mulheres e homens.

Advertisements

Entry filed under: Diversos.

O Deus desconhecido De botocudo e joalheiro

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Calendar

October 2010
M T W T F S S
« Sep   Nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Most Recent Posts


%d bloggers like this: