Posts filed under ‘Fotos e vídeos’

Saudades do Uirapuru

Sou filho e sobrinho de músicos. Meu pai, João Epifanio, era professor de música. Como eu gostava de vê-lo e ouvi-lo lendo partituras e tocando o clarinete. Com ele aprendi um pouco de uma coisa e de outra. O irmão de meu pai, José Henriques da Costa, mais conhecido como Zé Pereira, foi o grande maestro de banda de música da Serra da Raiz.

Meu pai também formava corais com seus alunos em Guarabira. Trazia para nossa casa rapazes e moças para ensaiar as músicas cantadas a várias vozes, e eu, ainda criança, ficava encantado com os ensaios e apresentações do coral, do qual posteriormente passei a fazer parte. Em Guarabira, lembro também de corais organizados pelo professor Domingos Fragoso, uma das amizades musicais de meu pai.

Essas amizades musicais nos renderam momentos inesquecíveis. Meu pai adorava receber pessoas em casa. Certo dia, ele disse ao grande maestro Pedro Santos: ─ Qualquer dia desses apareça lá em casa, que será um prazer. E não é que o maestro apareceu mesmo? Num ônibus, levando junto com ele o coral da Universidade Federal da Paraíba e uma orquestra de câmara. Nesse tempo, morávamos em Serra da Raiz, e a cidade era deficiente telefônica. Somente um posto, com mensageiro para dar recados nas casas, e às vezes o telefone dava problema. Daí que, por falta de comunicação mais segura, a chegada dos músicos foi uma surpresa para nós. De início, foi aquele corre-corre, principalmente da parte de minha mãe, para acolher decentemente as visitas ilustres.Mas se na cidade faltava telefonia, sobrava hospitalidade. Rapidamente, vários amigos se oferecerem para também hospedar os universitários. No final foi tudo maravilhoso. Pena que não tivemos como gravar em vídeo aquelas apresentações de rara beleza.

Por falar em vídeo, um dia destes, num site de relacionamento, um amigo postou um vídeo antigo, que eu desconhecia, de Nilo Amaro e seus cantores de ébano. Para minha surpresa, a música cantada pelo grupo é Uirapuru, que fazia parte do repertório dos nossos corais, corais dos rapazes e moças que cantavam lá em casa, corais do professor Domingos, corais de meu pai, com suas inesquecíveis amizades musicais.

Advertisements

March 4, 2011 at 8:25 pm Leave a comment

Pois é, pra quê?

No final da década de 70 e durante a de 80, participávamos da PJMP (Pastoral de Juventude do Meio Popular), da qual fomos pioneiros na Diocese de Guarabira-PB. Nossa formação religiosa, política e ética fundava-se principalmente na Teologia da Libertação. Discutíamos sobre fé e política, evangelização e engajamento, e sobre a necessidade de testemunho de uma igreja profética, que tinha nas CEBS (Comunidades Eclesiais de Base) uma de suas grandes expressões. Uma música que nos marcou muito, e que servia para reflexão em nossos encontros é Pois é, pra quê?, de Sidney Miller, que parece ter algo a nos dizer ainda hoje.

February 25, 2011 at 9:34 pm Leave a comment

09 de fevereiro: viva o dia do frevo!

Do DVD nove de frevereiro recolhi o frevo Corisco, de Lourival Oliveira, executado por Antonio Nóbrega, e do site café Colombo (cafecolombo.com.br), este poema para o frevo, que segundo aquele site, foi extraído da edição do Jornal do Comércio, de 09 de fevereiro de 1936.

Soneto

Ascenço Ferreira

E o frevo vem vindo
vem vindo na onda
se parafusando,
se destrembelhando,
e se esbagaçando…

– Congote cheiroso, que é que tu põe?
– Moleque atrevido, cheira tua mãe!

A coisa é gostosa,
É bôa que dói
emperra e destranca
na volta cruel
do chão de barriga

– Enseba as canelas e vai merguiando!
– Meu Deus uma vela que estou me findando!

E a marcha amolleca
nas ancas as coxas
A raça se espreme
se junta, amanhece
no pateo da séde…

– Aguenta no passo, negrada do diabo!
– Seu mestre mais uma senão eu me acabo!

Vem tudo suado
na marcha regresso
pingando de gozo
nos ôio estrepado
da negra do rancho…

– Quem é que belisca as cadeiras da negra?
– Me dá tostão de beiço, mulata!

E o frevo vai indo
vai indo na onda
se parafusando
se destrambelhando
e se esbagaçando…

– Ascenso, larga de besteira!
– Amanhã é segunda-feira!

February 9, 2011 at 6:49 pm Leave a comment

Ao mestre Sivuca (1930-2006).

Desde que mantive o primeiro contato com sua música, tornei-me fã de Sivuca. E um dos shows mais bonitos que pude assistir até hoje foi do grande mestre de Itabaiana e da música universal, acompanhado da orquestra sinfônica da Paraíba, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa-PB. Não lembro exatamente a data do show, mas isso é o de menos. O que importa é a música, inesquecível, imortal.


February 4, 2011 at 9:49 pm Leave a comment

Um convite à filosofia, na hipermodernidade

Qual deve ser o papel da filosofia e do filosofar no tempo da hipermodernidade, no qual vivemos? Gilles Lipovetsky nos ajuda a pensar sobre isso.

January 28, 2011 at 9:37 pm Leave a comment

Chico Pedrosa, de Guarabira para o mundo

Há alguns anos atrás, tive a grata satisfação de ver e ouvir pessoalmente o poeta Chico Pedrosa, declamando suas poesias, no auditório do SEBRAE em Guarabira-PB. Na oportunidade, verifiquei porque ele é considerado um dos maiores poetas populares do nosso país. Dos três CD’s de poesia daquele poeta, que não me canso de ouvir (sertão caboclo, paisagem sertaneja e no meu sertão é assim), todos devidamente autografados pelo grande mestre guarabirense, tenho especial predileção pelo poema “O filósofo Zé Gogó”, declamado por Chico Pedrosa neste vídeo.

January 25, 2011 at 8:19 pm 1 comment

Se os tubarões fossem homens

January 17, 2011 at 10:45 pm Leave a comment

Older Posts


Calendar

November 2017
M T W T F S S
« Mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Posts by Month

Posts by Category